Feeds:
Posts
Comentários

Migração

Colegas,

Agradeço as mais de 100 visualizações do blog em dois dias, das quais 80 apenas neste feriado de 7 de setembro.

Apesar de gostar do WordPress, por questões técnicas, migrei o blog para outra plataforma. Vocês poderão continuar me acompanhando aqui: http://estudaremparis.blogspot.com/.

Maison Internationale, onde está localizado o "Resto U" da CiuP. Crédito: Pedro Miguel

É… Restaurante universitário parece ser a mesma coisa por essas terras parisienses. O nome muda para restaurant universitaire e o apelido para resto (lê-se restô) U, mas a minha primeira experiência mostrou que são iguais.

O preço (3,05 euros), em uma cidade na qual uma refeição completa não sai por menos de 10, 12 euros, atrai bastante. Outra brasileira e eu decidimos experimentar a comida aqui na Cité Internationale Universitaire de Paris (CiuP). Na fila, nos perguntamos se seria necessário apresentar a carteira de estudante, pois ainda não a temos. Prontamente, uma menina que nos ouviu falar português nos surpreende dizendo: – Nada – coloca os restos de comida no cesto sem olhar para nós –, qualquer coisa é só mostrar o passaporte, conversar direitinho… O jeitinho brasileiro está em qualquer lugar.

Fomos seguindo a multidão, já que não sabíamos bem como funcionava por lá. Pagamos, e a senhora do caixa nem sequer nos perguntou se éramos estudantes, se preocupou apenas em nos dizer que poderíamos escolher dois itens (entrada e sobremesa). Parece bonito pela ideia de entrada e sobremesa, mas era apenas salada, iogurte ou fruta. Fomos de iogurte e fruta.

Depois, mais à frente, um senhor, extremamente impaciente, nos pergunta “Poulet ou ‘stack’¹ (Frango ou bife?)”. Ambos escolhemos bife, e nos arrependemos. Estava queimado. Em seguida, ele coloca no prato legumes e batata frita. Pensei: – Cadê o arroz ou macarrão, sei lá? Sério, que é só isso? Era só isso mesmo.

Nos sentamos e começamos a conversar amenidades. Marcela, que me acompanha, diz que não aguenta mais comer a salada, que estava insossa. Falo para ela, então: – Melhor comida ruim do que ficar com fome, depois. Comi tudo.

1. Estava escrito assim mesmo, mas, em francês, se usa steak ou bifteck, versão afrancesada de beef steak.

Para aqueles que desejam, um dia, estudar na França, aprender francês é um pré-requisito básico, já que são muito poucos os cursos ministrados totalmente em inglês, em comparação àqueles no idioma nativo.

Não quer aprender francês? Odeia fazer biquinho e aqueles “rrr” que arranham a garganta? Complica um pouco, mas ainda é possível. No CampusFrance, uma agência do governo francês voltada à promoção do ensino superior de lá, você poderá consultar uma lista dos cursos disponíveis: http://www.campusfrance.org/en/node/5737.

Há, sobretudo, bons mestrados, MBAs, doutorados e pós-doutorados na língua inglesa. Inclusive, a Sciences Po Paris, grande escola responsável pela formação de grande parte dos mais importantes políticos e jornalistas franceses, tem diversos cursos dessa forma. Entre as personalidades formadas nessa instituição, estão os ex-presidentes François Mitterrand e Georges Pompidou, a senadora colombiana Íngrid Betancourt, alguns ex-primeiros ministros franceses e até o ex-diretor do FMI, Dominique Strauss-Kahn.

Caso decida encarar o “biquinho”, saiba que não é tão duro. Como é um idioma de origem latina, assim como o português, aprender a ler e escrever um pouco em francês pode ser bem fácil. Conheço um brasileiro que estudou um ano como autodidata e conseguiu passar.

Isso do conhecimento exigido vai depender bastante da universidade que você escolher. Normalmente, as instituições exigem nível B2 ou C1 do Quadro Europeu Comum de Referência (CECR), que são aqueles chamados de “avançados” pelas escolas de idiomas.

Por outro lado, não é preciso se desesperar. Normalmente, instituições de cidades menores ou até as universidades menos famosas de Paris chegam a aceitar o B1 (intermediário), por exemplo. No entanto, para conseguir acompanhar bem os estudos e se comunicar sem problemas na França, aconselho o B2, no mínimo.

Amanhã, vou fazer minha inscrição da Universidade Paris-Sorbonne, então, no sábado escreverei uma postagem sobre quanto se paga para estudar em uma instituição de ensino superior francesa, bem como o custo de vida e as oportunidades de bolsa.

À bientôt !
Até logo!

Chegada

Olá!

Este aqui é um despretensioso blog onde vou escrever sobre as experiências vividas por mim, Pedro Miguel, aqui, em Paris. Cheguei há exatamente duas semanas, no dia 24/08, para estudar no Celsa, uma grande escola de Comunicação vinculada à Universidade Paris-Sorbonne (mais à frente explicarei como o que são essas instituições e como foi a seleção).

Potiguar da cidade de Natal, eu nunca poderia imaginar, alguns anos atrás, que poderia chegar até aqui, mais uma razão para eu compartilhar essas experiências com outras pessoas interessadas em estudar na França.

Desde já, agradeço a visita e espero que meus textos possam despertar o interesse de vocês.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.